Ponto de vista

ESPELHO INTERIOR


Há pessoas que escolhem a dança como forma de externar seu apreço a uma obra musical. É a manifestação do corpo. Nada contra. Aprecio a dança como arte.Há outras porém, mais introspectivas, que se emocionam às lágrimas diante de uma boa letra com a qual se identificam. É a manifestação da alma.

No conteúdo dos meus discos, procuro abranger o primeiro grupo por meio de algumas composições bailáveis, mas não posso negar que meu trabalho está mais voltado para o segundo grupo. Gosto da introspecção, da reflexão e do sentimento que emociona. Atrai-me o desafio de libertar a lágrima presa não à dor, mas ao sorriso.
Um disco é, de certa forma, o espelho do que somos. Acho que gravar um disco sem conteúdo nos revela vazios. É como publicar um livro em branco. Melhor não fazê-lo. 

Logicamente, isto é apenas o meu ponto de vista.



Miro Saldanha | Música Gaúcha com cara de Brasil